Surfshark
Astronomia no Zênite
Curiosidades - Fatos & fotos

A grande conjunção de 2020

O ano de 2020 não foi exatamente um daqueles que deixaram muitas saudades. Mas, no céu, o finalzinho desse ano trouxe uma conjunção muito especial entre os planetas Júpiter e Saturno. A palavra conjunção vem do latim conjunctio, união; o que em Astronomia designa a aproximação aparente entre dois ou mais astros.

Dizemos “aparente” porque os astros em questão não precisam estar necessariamente próximos. É mais uma questão da nossa perspectiva na Terra. Aproximações aparentes entre Júpiter e Saturno são relativamente raras, ocorrendo uma vez a cada 20 anos, ou mais, mas a conjunção de 21 de dezembro de 2020 (mesmo dia que começa o verão) é excepcional por quão próximos esses planetas parecerão um do outro.

Vistos por um telescópio, mesmo modesto, Júpiter e Saturno são sempre alvos atraentes porque podemos facilmente ver as luas do primeiro e os anéis do segundo. Mas durante toda a sua vida foi preciso montar e apontar o telescópio para direções diferentes do céu, às vezes em noites diferentes também, para apreciar esse dois mundos gigantes.

Ao anoitecer da segunda-feira, 21, os dois puderam ser vistos numa mesma ocular de telescópio (0,1° de separação angular, ou 1/5 do diâmetro da Lua: veja a gravura abaixo). A última vez que ficaram tão próximos foi na madrugada de 4 de março do 1226 – quase quatro séculos antes do primeiro telescópio!

Conjunção Júpiter-Saturno
VISÃO através de um telescópio amador (60mm de abertura ou mais).

Grandes conjunções entre Júpiter e Saturno também aconteceram em 16 de julho de 1623 e em 18 de fevereiro de 1961. Após 2020 outra acontecerá em 15 de março de 2080. Depois disso, Júpiter e Saturno não voltarão a ficar tão próximos no céu noturno até o ano 2400.

PUBLICIDADE
Este website não tem fins lucrativos, sendo mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando o seu bloqueador de anúncios para www.zenite.nu

Melhor ao Sul

Claro que a conjunção entre Júpiter e Saturno de 21 de dezembro de 2020 foi facilmente visível a olho nu. Júpiter é um planeta muito brilhante e Saturno, embora consideravelvamente mais fraco, vai ser muito fácil de encontrar por causa dessa aproximação.

Porém, quanto mais ao Norte fosse a posição do observador, menos tempo teria para ver esses planetas quase como um só, antes deles se esconderem sob o horizonte. Foi aí que os habitantes no hemisfério Sul levaram vantagem.

Uma conjunção também não acontece de uma só vez. Aos poucos, noite após noite, os planetas vão se aproximando mais e mais no céu. Um movimento silencioso e de grande beleza, que rendeu belas imagens aos fotógrafos da natureza, como mostra a galeria ao final dessa página.

A lenta aproximação de Júpiter e Saturno
POUCO A POUCO  A lenta aproximação de Júpiter e Saturno. Gravura de Pete Lawrence.

Estrela do Natal?

Com a assombrosa velocidade com que informações de todo tipo se propagam na atualidade, foi inevitável a comparação entre a grande conjunção de 2020 e a história da Estrela de Belém, narrada no capítulo 2 do Evangelho de Mateus, na Bíblia. Aquele relato parece sugerir um astro singular que teria guiado três reis magos até o local de nascimento de  Jesus.

Cometa, supernova e uma tríplice conjunção envolvendo Vênus, Júpiter e Saturno têm sido alguns dos fenômenos celestes aventados (entre outras hipóteses muito mais excêntricas) para explicar o que teriam visto os tais magos vindos do Oriente.

Mas essa conjunção não merece tal comparação. Os astros envolvidos estavam bem baixos no céu, concorrendo com a luz do Sol poente, e não ficaram ali por muito tempo antes de também caírem abaixo do horizonte. É também improvável que uma conjunção entre Júpiter e Saturno tenha sido tal “estrela”.

Saturno atrás de Júpiter em 21/dez/2020
PERTO, MAS NEM TANTO  Saturno estava centenas de milhões de quilômetros atrás de Júpiter em 21 de dezembro de 2020.

Muitas referências astrológicas e mensagens de paz e esperança também vieram junto com a conjunção de 2020 entre Júpiter e Saturno, dado o momento particularmente difícil daquele que foi o último ano da segunda década deste milênio.

Seriam sinais de um novo tempo começando? Nossas ações na Terra com certeza dizem muito mais sobre isso que a mecânica celeste, cujos astros, indiferentes aos desejos humanos, continuam seus percursos no macrocosmos como deuses do tempo. Como os senhores que gostaríamos de ser. Artigo de Astronomia no Zênite

Galeria de fotos de grande conjunção de 2020

 

A estrela de Belém
Rotas espaciais

Referências (fontes consultadas)
• Hunt, J. L. 1623: The Great Conjunction of Jupiter and Saturn. When the Curves Line Up. Disponível em <https://whenthecurveslineup.com/2020/02/20/1623-the-great-conjunction-of-jupiter-and-saturn/>. Acesso em 2 dez 2020.
• See the Great Conjunction of Jupiter and Saturn, 21 December 2020. BBC Sky at Night Magazine. Disponível em <https://www.skyatnightmagazine.com/advice/skills/great-conjunction-jupiter-saturn/>. Acesso em 2 dez 2020.
Créditos: Costa, J.R.V. A grande conjunção de 2020. Astronomia no Zênite, 11 dez. 2020. Disponível em: <https://www.zenite.nu/a-grande-conjuncao-de-2020>. Acesso em: 27 mai. 2022.
Como citar esta página como uma fonte da sua pesquisa

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT, a forma indicada para mostrar que você pesquisou o artigo contido nesta página é:

 

As referências bibliográficas são importantes não apenas para dar crédito aos autores de suas fontes, mas para mostrar a sua habilidade em reunir elementos que constroem uma boa pesquisa. Boas referências só valorizam o seu trabalho.