Astronáutica - Os pioneiros

O programa Pioneer

StatusLançamentosObjetivos
Concluído
Entre 1958 e 1978
Estudar a Lua, o Sol, os campos de radiação da Terra e o meio interplanetário; também foi enviada a Vênus, Júpiter e Saturno

As primeiras naves do programa Pioneer (Pioneiro) foram lançadas entre 1958 e 1960 pelos norte-americanos, movidos pelo desejo de competir com a União Soviética na corrida em direção à Lua. Todas foram projetadas para estudar o ambiente espacial dominado pelo Sol. E embora algumas tenham falhado, seis naves da série Pioneer estão agora em órbita solar e duas ainda transmitem dados para a Terra.

O primeiro veículo foi chamado Pioneer 0. De responsabilidade da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), ele teve de ser destruído logo após lançamento, quando o primeiro estágio explodiu. As missões Pioneer de 1 a 5 deveriam colocar pequenas sondas em órbita lunar e fotografar a superfície. Mas nenhuma delas conseguiu escapar da gravidade terrestre, embora tenham enviado informações importantes sobre os cinturões de radiação da Terra.

Pioneer 13A PIONEER 13 lança suas sondas em Vênus. Clique na gravura para ampliar.

As missões de 6 a 9 foram lançadas em órbita solar entre 1965 e 1968 e serviram para testar o sistema de orientação das naves, além de obter informações sobre os efeitos da atividade solar sobre a Terra.

A Pioneer 10, lançada em 1972, foi a primeira espaçonave a cruzar o Cinturão dos Asteroides, passando por Júpiter. A Pioneer 11, lançada um ano depois, também seguiu para Júpiter e usou a gravidade deste planeta para visitar Saturno. Ambas estão neste momento deixando o Sistema Solar.

Por fim, as missões 12 e 13, chamadas Pioneer Venus, foram lançadas em 1978 especialmente para investigar a atmosfera e mapear a superfície do planeta Vênus. A seguir, um resumo de todo o programa.

PROGRAMA PIONEER
Missão Partida Resultados
Pioneer 0 17/Ago/1958 Lançada pela Força Aérea e destruída 77 s após o lançamento. Primeira tentativa americana de atingir à Lua.
Pioneer 1 11/Out/1958 Primeira nave lançada pela Nasa. Falhou em atingir à Lua. Forneceu dados sobre os cinturões de radiação da Terra.
Pioneer 2 08/Nov/1958 Explodiu no lançamento.
Pioneer 3 06/Dez/1958 Falhou em atingir à Lua. Descobriu um segundo cinturão de radiação em torno da Terra.
Pioneer 4 03/Mar/1959 Primeira espaçonave americana a escapar da gravidade terrestre, passou a 58.983 km da Lua.
Pioneer 5 11/Mar/1960 Ficou em órbita do Sol, afastado cerca de 36 milhões de km da Terra. Fez o primeiro mapa do campo magnético interplanetário.
Pioneer 6 16/Dez/1965 Ficou em órbita a cerca de 120 milhões de km do Sol. Mediu o campo magnético e o vento solar.
Pioneer 7 17/Ago/1966 Ficou em órbita do Sol a cerca de 1,1 UA. Monitorou o vento solar e os raios cósmicos.
Pioneer 8 13/Dez/1967 Ficou em órbita do Sol a cerca de 1,1 UA. Obteve dados sobre a radiação solar.
Pioneer 9 08/Nov/1968 Ficou em órbita do Sol a cerca de 0,8 UA. Obteve dados sobre a radiação solar.
Pioneer 10 02/Mar/1972 Tirou as primeiras fotos em close-up de Júpiter. A missão terminou formalmente em 31/mar/1997. A nave segue em direção à constelação de Touro e ainda está enviando sinais para a Terra, a quase 11 bilhões de km.
Pioneer 11 04/Abr/1973 Seguiu a Pioneer 10 até Júpiter (1974) e visitou Saturno (1979). A missão terminou em 30/Set/1995. As baterias se esgotaram. A nave não se comunica mais com a Terra e segue em direção à constelação da Águia.
Pioneer 12 20/Mai/1978 Entrou em órbita de Vênus em 4/Dez, mapeou a superfície, estudou a atmosfera e a interação do vento solar até 1992.
Pioneer 13 08/Ago/1978 Quatro sondas e uma nave mãe penetraram na atmosfera de Vênus em 9/Dez.

Pioneer 10

A Pioneer 10, lançada em 1972, também foi o primeiro objeto construído pelo homem a deixar o Sistema Solar. A espaçonave atingiu sua maior aproximação com Júpiter em dezembro de 1973, quando esteve a cerca de 200.000 km, ou 1,4 vezes o diâmetro desse planeta. Ainda aproveitando seu empurrão gravitacional, a Pioneer 10 segue agora em direção à estrela Aldebaran, da constelação de Touro.

Para transpor os 68 anos-luz que tem pelo caminho, a Pioneer 10 levará dois milhões de anos, mesmo viajando a incrível velocidade de 12 km/s (mais de 1 milhão de quilômetros por dia). Mesmo assim, somente depois de 126 mil anos de viagem ela escapará definitivamente da força de gravidade do Sol.

Júpiter, Saturno e além

A Pioneer 11 (lançada em abril de 1975) sobrevoou Júpiter em dezembro de 1974 e Saturno em setembro de 1979. Foi a segunda missão a investigar Júpiter e a primeira a explorar Saturno e seu sistema de anéis.

A espaçonave operou com o transmissor reserva desde o lançamento, e a partir de fevereiro de 1985 os instrumentos de bordo passaram a dividir o suprimento de energia, devido ao decaimento do RTG (Radioisotope Thermoelectric Generator), um sistema que usa Plutônio 238 para aquecer uma junção termoelétrica e gerar energia.

No final de setembro de 1995, o RTG atingiu um nível insuficiente para operar qualquer experimento: a Pioneer 11 estava a 17,4° ao Norte do equador solar e a 44,7 UA. A missão foi oficialmente encerrada em março de 1997. A sonda não é mais rastreada da Terra e segue um curso que a levará à constelação da Águia, a noroeste de Sagitário.

Mas o primeiro encontro da Pioneer 11 com as estrelas dessa constelação acontecerá somente daqui a quatro milhões de anos.

Pioneer 11
PIONNER 11  Concepção artística da espaçonave deixando o Sistema Solar. Gravura da NASA.

A Placa da Pioneer

De pé e nus, um homem e uma mulher posam diante da silhueta da espaçonave. O homem ergue a mão num gesto de boa vontade. Ambos foram desenhados a partir de análises em computador dos diversos biótipos da humanidade. Ao lado deles a posição dos planetas do Sistema Solar em relação a 14 pulsares conhecidos e o centro da galáxia.

No canto superior esquerdo um esquema mostrando a transição de um átomo neutro de hidrogênio, o elemento químico mais comum no Universo. Estas são as principais informações da placa dourada elaborada por Carl Sagan e Frank Drake e levada pelas Pioneer 1011.

A Placa da Pioneer
MENSAGEM À ETERNIDADE  A Placa levada pelas Pioneers 10 e 11. Clique na imagem para ampliar.

Esses “cartões postais da Terra” muito provavelmente irão durar mais tempo no espaço do que toda a existência da humanidade na Terra.  Fim

GOSTOU DO ARTIGO? COMPARTILHE!    
PUBLICIDADE
Este website não tem fins lucrativos, sendo mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando o seu bloqueador de anúncios para www.zenite.nu
 

Onde estão elas?
O programa Luna

Como citar o texto desta página como fonte de sua pesquisa

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT, a forma indicada para mostrar que você pesquisou o artigo contido nesta página é:

 

As referências bibliográficas são importantes não apenas para dar crédito aos autores de suas fontes, mas para mostrar a sua habilidade em reunir elementos que constroem uma boa pesquisa. Boas referências só valorizam o seu trabalho.