Novidades do Espaço ExteriorAntena
 Ano I - Nº 25

A gula de Andrômeda
Space.com - 5 de julho de 2001

Andrômeda, ou M31, é uma galáxia espiral com duas vezes o tamanho da nossa Via Láctea, onde está o Sistema Solar. Recentemente uma equipe internacional de astrônomos descobriu novas evidências de que Andrômeda não é tão grande por acaso. Ela teria conquistado seu porte ao longo dos últimos bilhões de anos engolindo as vizinhas menores. E o canibalismo continua.

Estudando a borda da galáxia - o chamado halo galáctico - os pesquisadores pegaram M31 com a boca na botija, literalmente. Eles observaram um gigantesco feixe de estrelas numa região árida da borda galáctica, cuja origem provavelmente se encontra nas galáxias anãs M32 ou NGC205.

"O estudo indica que as galáxias continuam a assimilar companheiras menores até os dias de hoje", afirma Rodrigo Ibata, do Observatório de Estrasburgo, França. Ele é o líder da equipe que flagrou Andrômeda em pleno almoço, em observações feitas de 3 a 9 de setembro de 2000. O trabalho está na edição desta semana da revista Nature.

Acredita-se que aglomerados desse tipo tenham se formado a partir de elementos menores. "Essa nova informação fornece evidência corroborativa para as teorias de formação hierárquica de estruturas, que prevêem que as estruturas no Universo se formaram a partir da coalescência (junção) de estruturas menores", diz Ibata.

Novos estudos permitirão medir as velocidades das estrelas no rastro, de forma a calcular a distribuição de matéria escura em volta de Andrômeda. Os astrônomos também vão procurar a continuação do rastro estelar na borda noroeste de Andrômeda, pois o estudo atual analisou apenas a região sudeste do halo galáctico.

Novo objeto no Cinturão de Kuiper pode ser maior que Caronte
Spacedaily - 2 de julho de 2001

Um grupo de astrônomos da Universidade do Arizona (EUA) descobriu um dos maiores objetos já observados em órbita do Sol. Tão grande quanto Caronte, a lua de Plutão, ele faz parte da região conhecida como Cinturão de Kuiper, e orbita o Sol além de Netuno. De coloração avermelhada, o objeto é provavelmente coberto de gelo e recebeu a denominação temporária 2001 KX76.

O diâmetro de 2001 KX76 foi estimado em 1.270 km, mais que Ceres, o maior dos asteroides entre Marte e Júpiter. Porém, 2001 KX76 pode ser de fato um pouco menor que Caronte. Tudo depende do quão reflexivo ele seja. No início deste ano, a descoberta de 20000 Varuna, no Cinturão de Kuiper, foi anunciada como um objeto com diâmetro aproximado de 900 km, baseado no seu poder de reflexão de luz (albedo) de apenas 7%. Se este também for o albedo de 2001 KX76 seu diâmetro cai para 960 km.

Desde 1992 já foram detectados mais de 400 objetos no Cinturão de Kuiper. Essas descobertas revolucionaram a observação de áreas distantes do nosso Sistema Solar e os astrônomos estavam ansiosos pelo lançamento da sonda Pluto-Kuiper Express para estudar o mais distante dos planetas em órbita solar. A missão, no entanto, foi uma das primeiras a ser cancelada depois que o presidente George W. Bush cortou as verbas destinadas à pesquisa espacial norte-americana.