Novidades do Espaço ExteriorAntena
 Ano IV - Nº 183

Duas novas luas para Saturno
Space.com - 20 de agosto de 2004

A sonda Cassini-Huygens revelou duas luas, até então desconhecidas, em órbita de Saturno. Isso eleva para 33 o número de satélites naturais em torno do segundo maior planeta do Sistema Solar. Os novos satélites receberam a denominação provisória S/2004 S1 e S/2004 S2.

Eles têm cerca de três e quatro quilômetros de diâmetro e estão a 194.000 e 211.000 km do centro do planeta, entre as órbitas das luas Mimas e Enceladus. A lua S/2004 S1 pode ser o mesmo objeto detectado numa única imagem obtida pela sonda Voyager há 23 anos e naquela época denominado S/1981 S14.

Os menores satélites até agora descobertos tinham cerca de 20 km de diâmetro. Os astrônomos esperavam encontrar objetos como as novas luas nos vazios entre os anéis de Saturno, e se surpreenderam com luas tão pequenas entre dois dos maiores satélites do planeta.

O fato dos objetos recém-descobertos estarem em tais órbitas pode significar um limitante no número de pequenos cometas no Sistema Solar (quantidade essencial para uma melhor compreensão dos objetos do Cinturão de Kuiper, assim como da própria história das crateras nas luas dos gigantes gasosos).

Devido as enormes forças de maré proporcionadas por esses planetas, não é esperado que suas luas mais próximas tenham se formado onde estão hoje. E ao se deslocarem, os satélites poderiam provocar perturbações nas órbitas de outras luas, aumentando a excentricidade ou a inclinação orbital, por exemplo, o que deve ter ocorrido à S/2004 S1.

Primeira vela solar passa por exame crítico
Spaceflight Now - 15 de agosto de 2004

Com a montagem de todos os seus sistemas eletrônicos, a Cosmos 1, primeira espaçonave que usará uma vela solar para se mover no espaço, passou por mais uma etapa crítica rumo ao seu tão aguardado lançamento (no final deste ano ou início de 2005).

A Cosmos 1 é um projeto da Planetary Society, maior organização não governamental do mundo ligada à exploração espacial e à busca por outras formas de vida no Universo. O Space Research Institute (IKI), de Moscou, completou com sucesso a qualificação de todos os instrumentos eletrônicos a bordo da espaçonave, assim como dos softwares embarcados.

A missão da Cosmos 1 é realizar um voo controlado usando uma vela solar, que utiliza a pressão da luz (fótons) para se mover no espaço. Essa tecnologia poderá ser utilizada, um dia, no voo interestelar. Se seu voo for bem sucedido, a Cosmos 1 poderá ser visível a olho nu em boa parte do mundo.

Várias agências espaciais têm projetos de velas solares, mas a Planetary Society é uma das únicas iniciativas de fundo privado do mundo – e aquela cujos trabalhos estão mais adiantados. A Planetary Society foi fundada pelo astrônomo Carl Sagan (1934-1996) no ano de 1980.