Novidades do Espaço ExteriorAntena
 Ano III - Nº 125

O mais antigo planeta conhecido
Science@Nasa - 9 de julho de 2003

Muito tempo antes de surgirem o Sol e a Terra, um planeta gigante e gasoso como Júpiter se formou em torno de uma estrela como o Sol. Agora, quase 13 bilhões de anos depois, o telescópio espacial Hubble conseguiu medir com precisão a massa deste mundo ancestral, que para nós é o mais antigo e o mais distante conhecido.

Este planeta tem uma história notável, porque nasceu em um lugar improvável e hostil da galáxia. Sua órbita foi modificada dramaticamente ao longo de sua existência. Hoje este mundo gigante gira em torno de um par de estrelas velhas em meio ao populoso núcleo de um aglomerado globular, uma das estruturas mais antigas da nossa galáxia, a 5.600 anos-luz na direção da constelação de Escorpião.

A nova descoberta encerra uma década de especulações e debates sobre a verdadeira natureza deste mundo ancestral, que leva um século para completar cada órbita.

Tudo começou em 1988, quando o pulsar PSR B1620-26 foi descoberto em M4. Ele gira 100 vezes por segundo, emitindo pulsos de rádio regulares, como um farol. Uma anã branca também foi encontrada. Os dois objetos giram em torno um do outro duas vezes por ano.

Mas os astrônomos também notaram irregularidades no movimento do pulsar, insinuando a presença de um terceiro objeto em órbita do sistema. Suspeitou-se de um planeta, mas poderia ser uma anã marrom de pouca massa. O debate prosseguiu até surgirem os resultados do Hubble.

Brasileiro premiado pela descoberta de um cometa
Spaceflight Now - 8 de julho de 2003

Pelo quinto ano consecutivo foi anunciado um prêmio em dinheiro pela descoberta de cometas realizada astrônomos amadores. O prêmio é concedido pelo Smithsonian Astrophysical Observatory (SAO), parte do Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, em Cambridge, Massachusetts, Estados Unidos. Cinco amadores, entre eles um brasileiro, receberão placas comemorativas e um prêmio em dinheiro.

São eles: Sebastian F. Hoenig de Dossenheim, Alemanha, pela descoberta visual do cometa C/2002 O4 em 22 de julho de 2002; Tetuo Kudo e Shigehisa Fujikawa, respectivamente de Kikuchi e Mitoyo, no Japão, pela descoberta visual independente do cometa C/2002 X5 em 12 e 13 de dezembro de 2002; Charles W. Juels, de Fountain Hills, Arizona e Paulo R. C. Holvorcem, de Campinas, São Paulo, Brasil, pela descoberta em conjunto através de câmera eletrônica do cometa C/2002 Y1 em 28 de dezembro do ano passado.

Juels e Holvorcem colaboram entre si via Internet com ajuda de conexões rápidas ADSL, o que tornou mais eficiente a transferência de imagens em tempo quase-real entre suas casas, no Estados Unidos e nos Brasil.