zenite.nu
Carregando...
Astronáutica - Os pioneiros

Tempestade de neve

 1ª Parte

Convencido de que o ônibus espacial norte-americano era uma ameaça militar, o governo soviético precisava de uma resposta para restaurar o equilíbrio de forças durante a Guerra Fria. Assim nasceu o Buran, palavra russa para Tempestade de Neve – o maior e mais caro projeto na história de corrida espacial soviética.

Ele seria o primeiro veículo soviético com possibilidade de colocar cargas em órbita e fazer voos tripulados simultâneos. Seus antecessores só executavam esses papéis separadamente, mas o Buran poderia levar 30 toneladas ao espaço e voltar com outras 20 toneladas, fora até dez passageiros.

Buran
A IMPONENTE DECOLAGEM do Buran no foguete Energia (concepção artística).

Energia e Buran

Em meados da década de 1960 os soviéticos desenvolveram uma pequena nave reutilizável chamada Espiral. Esse míni-transporte seria lançado a partir de uma aeronave capaz de alcançar Mach 6 (ou seis vezes da velocidade de som).

Spiral
A Espiral (clique para ampliar).

O projeto foi encerrado em 1977, mas parte das experiências de desenvolvimento foi utilizada no projeto do Buran. Para isso foi nomeado como responsável Valentin Glushko, o mesmo que havia cancelado o programa lunar que ambicionava levar russos para a Lua.

Equipes inteiras foram transferidas de seus projetos, e duas novas agências foram criadas: a NPO Energia e a NPO Molniya. A primeira faria o poderoso foguete Energia, responsável pela colocação do ônibus espacial soviético em órbita, enquanto a outra faria o veículo reutilizável propriamente dito.

Jornada nas estrelas

Mas enquanto os russos organizavam seus esforços no planejamento do Buran, os norte-americanos já estavam mudando seu projeto inicial do ônibus espacial (composto por três partes: um orbitador com asas em delta, o tanque exterior e dois foguetes propulsores, onde o tanque de combustível não é reaproveitado).

O primeiro projeto do ônibus espacial norte-americano era um híbrido constituído por dois veículos, um enorme propulsor pilotado e uma espécie de avião, o orbitador. Esse sistema era totalmente reutilizável, mas não foi o que prevaleceu.

Diferentemente da NASA, Glushko propôs uma configuração onde um grande lançador poderia ser utilizado com ou sem o orbitador. Assim mesmo, sempre houve alguma incerteza sobre o papel do Buran no programa espacial russo.

A função principal parecia ser somente uma resposta militar ao ônibus espacial norte-americano. Outra meta seria ajudar na construção da estação espacial Mir, embora para isso já existissem as bem-sucedidas naves Progress (que os norte-americanos não dispunham).

Este website não tem fins lucrativos, sendo mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando o seu bloqueador de anúncios para www.zenite.nu

Columbia

O primeiro ônibus espacial norte-americano nunca foi ao espaço. Chamado originalmente Constitution, ele apenas fazia voos atmosféricos, mas seu sucesso perante o público foi tão grande que fãs da série de TV Jornada nas Estrelas mobilizaram um abaixo-assinado nacional para mudar o nome da nave para Enterprise.

Em 12 de abril de 1981, exatamente 20 anos depois do russo Yuri Gagarin se tornar o primeiro ser humano em órbita da Terra, o Columbia tornou-se o primeiro ônibus espacial a entrar em órbita. Três dias depois ele pousaria magistralmente na base Edwards da Força Aérea, na Califórnia.

Por ironia do destino, seu único problema foi à perda de algumas placas do isolamento térmico – a mesma coisa que causaria a destruição da nave (e a morte de seus 7 tripulantes) durante o regresso em fevereiro de 2003.

VÍDEO DO COLUMBIA retornando de seu voo inaugural, em 1981.

Na União Soviética, o Buran continuava a ser construído, mas o projeto parecia fadado ao cancelamento devido aos atrasos e alto custo. Foi quando durante um voo do ônibus espacial Challenger, em abril de 1985, o veículo se posicionou numa órbita que o conduziu por cima da União Soviética.

Os radares mostraram que o ônibus tinha diminuído sua altitude exatamente sobre Moscou, para logo voltar a subir. Isso foi o suficiente para que as autoridades russas achassem que os norte-americanos estavam testando uma rota de bombardeio sobre sua capital.

Continue lendo…

GOSTOU DO ARTIGO? COMPARTILHE!    
PUBLICIDADE
Este website não tem fins lucrativos, sendo mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando o seu bloqueador de anúncios para www.zenite.nu
 

À luz de uma lua vermelha
O fabuloso N1
Spiral orbital aircraft programme 

Publicação em mídia impressa
Costa, J. R. V. e Mattos-Costa, F. I. Tempestade de neve. Tribuna de Santos, Santos, 13 out. 2008. Caderno de Ciência e Meio Ambiente, p. 2.
Como citar o texto desta página como fonte de sua pesquisa

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT, a forma indicada para mostrar que você pesquisou o artigo contido nesta página é:

 

As referências bibliográficas são importantes não apenas para dar crédito aos autores de suas fontes, mas para mostrar a sua habilidade em reunir elementos que constroem uma boa pesquisa. Boas referências só valorizam o seu trabalho.