zenite.nu
Carregando...
Diário astronômico - Arquivo de notícias

Retrospectiva 2003

 de Astronomia e Astronáutica
RingAnel da Via Láctea

6 DE JANEIRO – O ANEL DA VIA-LÁCTEA

Certas áreas da Via Láctea parecem sugerir a existência de um gigantesco anel de estrelas remanescente de uma colisão entre a nossa galáxia e outra menor, há bilhões de anos. O anel tem uma espessura pelo menos dez vezes inferior ao disco galáctico e 120.000 anos-luz de extensão, sendo formado exclusivamente por estrelas velhas. Estima-se que sua estrutura, a cerca de 30.000 anos-luz do Sistema Solar, contenha 1% da massa total da Via Láctea. Uma estrutura anelar semelhante também foi encotrada em torno da galáxia de Andrômeda.

ColumbiaTragédia do Columbia

1º DE FEVEREIRO – A TRAGÉDIA DO COLUMBIA

O ônibus espacial Columbia foi destruído durante a reentrada na atmosfera terrestre, ao fim de sua missão, matando os sete tripulantes. A causa da tragédia, segundo apurado meses mais tarde, teria sido um pedaço de espuma isolante que se desprendeu do tanque de combustível principal durante a decolagem. O choque na fuselagem permitiu que, durante a reentrada, o ar quente invadisse a estrutura, abrindo um vão que levou à desintegração do veículo. O Columbia era o mais antigo entre os ônibus espaciais e entrou em órbita pela primeira vez em abril de 1981.

JúpiterJúpiter

5 DE MARÇO – A FAMÍLIA CRESCEU

É hora de atualizar os livros de Astronomia. De uma só vez foram descobertos sete satélites de Júpiter, elevando o número de luas do maior planeta do Sistema Solar para 47. Mas isso foi só o começo. O ano terminaria com 61 luas de Júpiter, 31 de Saturno, 25 de Urano e 12 de Netuno. Os planetas gigantes gasosos são, de longe, os mais afortunados em satélites, mas Júpiter surpreende. Dos sete objetos descobertos em março (com diâmetros inferiores a 5 km), dois possuem movimento orbital no mesmo sentido da rotação de Júpiter, enquanto os demais são retrógrados.

BeppoSAXTrajetória prevista do BeppoSAX

24 DE ABRIL – A REENTRADA DO BEPPOSAX

O BeppoSAX, um satélite astronômico de raios-X ítalo-holandês lançado em 1996, teve suas atividades encerradas em 2002 devido à degradação de suas baterias e seu rápido decaimento orbital, colocando-o em uma altitude onde o controle não era mais possível. O governo brasileiro recebeu um alerta da Itália, informando que a reentrada na atmosfera ocorreria numa faixa equatorial que incluí parte das regiões Norte e Nordeste do Brasil. Mas a queda acabou ocorrendo no oceano Pacífico, em 29 de abril. A área habitada mais próxima foi o arquipélago de Galápagos.

trânsitoTrânsito de Mercúrio

7 DE MAIO – TRÂNSITO DE MERCÚRIO

Trânsito é a passagem de um planeta ou asteróide diante do disco solar. É um evento relativamente raro e, visto da Terra, apenas os planetas Mercúrio e Vênus realizam trânsitos. Na manhã de quarta-feira, 7 de maio, Mercúrio transitou pelo Sol pela primeira vez desde 1999. Desta vez a passagem foi mais interna ao disco solar, proporcionando melhores observações. Mas somente Europa, África e Ásia puderam acompanhar o trânsito do ingresso ao egresso externo. No Brasil viu-se apenas o final do trânsito, nas primeiras horas após o nascer do Sol.

SolDetalhe do Sol

17 DE JUNHO – A SUPERFÍCIE DO SOL EM 3D

As imagens em mais alta resolução já obtidas da superfície do Sol exibiram uma variedade surpreendente de estruturas, ressaltando padrões de células irregulares causados por variações de temperatura. Essas células, ou grânulos solares, evidenciam o transporte de calor até a superfície por convecção. Ainda mais importante foi que elas revelaram estruturas brilhantes que por séculos foram vistas apenas em baixa resolução: as fáculas (do latim “pequenas tochas”), possivelmente responsáveis por um aumento periódico na irradiação solar. Cada grânulo tem aproximadamente o tamanho do estado de Minas Gerais.

UrcaProcesso Urca

22 DE JULHO – O PROCESSO URCA

Anunciada a criação do Instituto Nacional de Cosmologia, Relatividade e Astrofísica (Icra-BR). E o primeiro estudo com o nome dessa instituição já é uma descoberta importante. O “processo Urca” (referência ao cassino carioca, onde o dinheiro de um jogador “escoa” rapidamente para o cassino) fala sobre disparos de raios gama, aparentemente formados a partir de estrelas que entram em colapso mas que não produzem explosões de supernova. Em seu lugar há uma violenta emissão de raios gama, e uma estrela próxima pode entrar em colapso, explodindo e se transformando numa estrela de nêutrons.

VLSPlataforma destruída

22 DE AGOSTO – A EXPLOSÃO DO VLS

O terceiro protótipo do primeiro Veículo Lançador de Satélites (VLS), que seria lançado do Centro de Lançamento de Alcântara, explodiu na plataforma de lançamento. Vinte e um civis morreram. Todos técnicos e engenheiros do Centro Técnico Aeroespacial que realizavam testes de pré-lançamento no veículo. A causa mais provável da tragédia foi a ignição de um dos quatro motores do foguete. Toda a plataforma foi destruída. Um lançamento bem sucedido tornaria o Brasil o primeiro país da América Latina a colocar satélites em órbita por meios próprios.

MarteMarte

29 DE AGOSTO – OPOSIÇÃO DE MARTE

A cada 26 meses a Terra passa entre Marte e o Sol. Os astrônomos chamam isso de oposição porque, visto da Terra, Marte surge no céu do lado oposto ao Sol. Mas durante as “oposições periélicas” a distância Terra-Marte diminui para cerca de 56 milhões de quilômetros (a distância média é de quase 228 milhões de quilômetros) e o diâmetro aparente do planeta atinge 25 segundos de arco. Dia 27 de agosto Marte e Terra estiveram mais próximos um do outro que em qualquer outra ocasião dos últimos 59.619 anos. Nessa ocasião a distância foi de apenas 55.780.000 quilômetros e o diâmetro aparente de 25,1 segundos de arco.

GalileoSonda Galileo

21 DE SETEMBRO – ADEUS GALILEO

Ela penetrou sob as camadas mais altas das nuvens de Júpiter, acelerando a mais de 160.000 km/h. Como não possuía nenhum tipo de proteção para reentradas, foi vaporizada rapidamente por causa da fricção, submetida a uma pressão mais de 20 vezes a do nível do mar. A sonda Galileo encerra uma das mais bem sucedidas missões de toda história da exploração espacial tendo descoberto 21 novas luas em torno de Júpiter e capturado a destruição do cometa Shoemaker-Levy 9 (1994). A queda em Júpiter foi preferida para evitar que ela pudesse colidir com Europa, que pode ter vida.

ShenzhouShenzhou 5

15 DE OUTUBRO – CHINA LANÇA PRIMEIRA MISSÃO TRIPULADA

Depois de mais de uma década de desenvolvimento e quatro décadas depois da União Soviética e dos Estados Unidos, a China tornou-se a terceira nação do mundo a enviar uma missão tripulada para a órbita da Terra. O lançamento foi em 15 de outubro (ainda 14 de outubro no Brasil, pelo horário de Brasília). Um foguete Longa Marcha partiu do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no Deserto de Góbi, levando a bordo a cápsula Shenzhou 5 com Yang Liwei, de 38 anos, o primeiro cidadão chinês a viajar ao espaço. A missão durou cerca de 21 horas ou 14 órbitas em torno da Terra.

SolarMaior explosão solar

4 DE NOVEMBRO – A TEMPESTADE PERFEITA

Os astrônomos não vão esquecer o dia em que ocorreu a maior explosão já registrada no Sol (foto). Na verdade todo o período compreendido entre meados de outubro e o início de novembro vai entrar para a história da observação solar. Nunca antes, num período tão curto, aconteceram erupções solares tão espetaculares. A maior delas se originou de uma gigantesca mancha solar com mais de dez vezes o tamanho da Terra. A erupção saturou os detectores do satélite GOES, produzindo uma nova imagem por minuto. O último pico de atividade solar foi em 2001, mais uma razão pela qual este período foi considerado surpreendente.

RenaBuraco coronal

11 DE DEZEMBRO – AS RENAS DO PAPAI NOEL

A mais famosa rena do trenó de Papai Noel, Rodolfo, foi observada no Sol, provavelmente a caminho do nosso planeta, para ajudar o bom velhinho a distribuir os presentes na noite de Natal… Ou pelo menos foi o espírito de Natal que bateu à porta do mais famoso observatório solar da atualidade, o Solar and Heliospheric Observatory (SOHO). Assim como às vezes podemos identificar formas distintas em nuvens, esta área escura no Sol (vista apenas em ultravioleta) se parece muito com a popular figura natalina. Na verdade é um “buraco coronal”, de onde partículas são expelidas seguindo as linhas do campo magnético do Sol.  Fim

 

Últimas notícias
Arquivo de notícias

Como citar esta página como fonte de sua pesquisa

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT, a forma indicada para mostrar que você pesquisou o artigo contido nesta página é:

 

As referências bibliográficas são importantes não apenas para dar crédito aos autores de suas fontes, mas para mostrar a sua habilidade em reunir elementos que constroem uma boa pesquisa. Boas referências só valorizam o seu trabalho.