Universo multicolorido

Galileu aplicou sua luneta à Astronomia, e Herschel ampliou ainda mais suas observações quando criou o primeiro telescópio moderno. No século XIX finalmente compreendeu-se que muitas daquelas manchas pálidas vistas ao telescópio eram galáxias, ilhas com centenas de bilhões de estrelas.

Mas até aí as observações eram sempre óticas, aproveitando a luz visível dos astros, aquela que percebemos com nossos próprios olhos. Porém os nossos sentidos são muito limitados para investigar a natureza – e os astros emitem “luzes” que não podemos ver naturalmente. É onde entra a radioastronomia.

Karl Jansky
Karl Jansky (1905-1950).

Sinais do espaço
Em 1930 Karl Jansky estava sondando interferências de rádio geradas por distúrbios atmosféricos, quando notou que havia um distúrbio fraco, mas persistente, que vinha de muito acima das nuvens de tempestade. Sua origem era a constelação de Sagitário, a 25.000 anos de viagem, se você fosse até lá na velocidade da luz (300.000 quilômetros por segundo).

As fontes de rádio no espaço não aparecem como pontos de luz, como as estrelas, mas como regiões, e sempre acusando fenômenos estranhos, não raras vezes espetaculares, como explosões de estrelas, colisões de galáxias ou nuvens de gás em redemoinhos gigantes.

É incrível como o céu da radioastronomia difere do céu ótico. Para nós, o Sol brilha mais que qualquer objeto no céu, mas para a radioastronomia a parte mais luminosa do firmamento está ao longo da Via Láctea. Ela é dez vezes mais brilhante que o Sol e, ao contrário deste, não tem uma intensidade constante, além de possuir uma forma oval em vez de circular.

Para perceber tudo isso os astrônomos não podem usar os telescópios comuns, tubos de metal com lentes e espelhos côncavos, mas gigantescas antenas parabólicas – quanto maior melhor. Instaladas na Terra, essas antenas estão limitadas às micro-ondas, as únicas que conseguem atravessar facilmente nossa atmosfera (Foto).

VLA Radiotelescope
RADIOTELESCÓPIO pertencente ao completo VLA (Very Large Array) perto da cidade de Socorro, Novo México, EUA (clique na imagem para ampliar).

Quando mantida com uma orientação fixa em relação ao solo, a antena varrerá o espaço à medida que a Terra gira. Mas quando estão acima da atmosfera, montadas em satélites ou estações espaciais, essas mesmas antenas não têm limitação de frequência ou orientação. A maior parte dos sinais vindos do espaço está na forma de ruído branco, similar ao gerado por um receptor de rádio fora de estação.

Feito em casa
Na verdade, se você ligar um televisor numa antena comum e não sintonizar nenhum canal, parte do ruído que verá na tela estará vindo diretamente do espaço. Uma TV “fora do ar” registra alguns dos sinais que os radiotelescópios conseguem captar.

Mas afinal o que são essas ondas de rádio que vêm do espaço? A Física prevê que qualquer corpo com temperatura acima do zero Kelvin (o mesmo que -273,6ºC) emite radiação eletromagnética. O Sol, por exemplo, que possui uma temperatura superficial de 5.800 Kelvin, emite radiações em todos os comprimentos de onda.

De modo geral corpos quentes emitem comprimentos de onda mais curtos, como o azul ou o violeta, enquanto os mais frios tendem a emitir radiação em longos comprimentos de onda, próximos do vermelho (e é por isso que instrumentos que captam a chamada radiação infravermelha são usados para visão noturna, quando nossos olhos não conseguem mais receber a luz refletida pelos objetos).

A radioastronomia abre nossa mente para um universo multicolorido e em múltiplas frequências. Mas para entender sua nova linguagem, devemos saber enxergar o invisível aos olhos.  Fim


NOVA YORK vista em vários comprimentos de onda (como infravermelho, ondas de rádio, raios-x e raios gama) neste trecho série “Cosmos: Uma Odisseia do Espaço-Tempo” (2014). Créditos: Fox e National Geographic Channel.

 

Unidades astronômicas
Ilhas de estrelas

» Publicação em mídia impressa:
• Costa, J. R. V. Universo multicolorido. Tribuna de Santos, Santos, 19 abr. 2004. Caderno de Ciência e Meio Ambiente, p. D-4.

» Como usar o texto desta página na sua pesquisa? show