Lua Nova

A Lua Nova de dezembro é no dia 29 às 3h53. Na Lua Nova nenhuma luz solar incide sobre a face lunar voltada para a Terra, de forma que o nosso satélite natural não é visível.

Lua mítica

O ciclo das fases da Lua sempre nos ajudou na contagem do tempo.

Se não podemos vê-la, por que a chamamos de "nova"? Porque é quando começa um novo ciclo lunar. Desde os tempos mais remotos as pessoas se identificavam com a Lua, que parecia contar e recontar a mesma história. Uma história de "vida", que termina na sua própria "morte", mas que não é defintiva. Ela sempre ressurge e recomeça tudo outra vez, "renovada".

A Lua Nova acontece apenas num certo dia e hora que correspondem a uma configuração geométrica muito bem definida na posição da Terra, do Sol e da Lua. É por isso que associamos um horário para cada uma das 4 principais fases lunares (Nova, Crecente, Cheia e Minguante). Elas não duram uma semana inteira, como sugerem alguns calendários.

Onde ela está?
Durante uma lunação, nosso satélite natural pode ser observado em diferentes momentos, seja de noite ou durante o dia. O gráfico a seguir mostra os horários aproximados (de 0 à 24h) quando a Lua pode ser vista em cada uma de suas quatro fases principais.

Visibilidade da Lua

Repare que a Lua Nova nasce por volta das 6 horas da manhã e se põe aproximadamente às 6 da tarde. Ou seja, além da face voltada para a Terra não estar recebendo luz do Sol, o satélite ainda realiza o seu deslocamento aparente nas vizinhanças do astro-rei. Por isso sua identificação no céu é muito difícil.

Dia de eclipse?
Somente na Lua Nova pode acontecer um eclipse do Sol, pois este é um fenômeno que requer que a Lua esteja exatamente entre a Terra e o Sol. Mas, como você já sabe, nem toda Lua Nova tem eclipse.

Se a Lua girasse em volta da Terra no mesmo plano que a Terra gira em volta do Sol teríamos eclipses solares em todos os dias de Lua Nova. Mas para o eclipse acontecer é preciso que a Lua Nova coincida com a passagem pelos nodos, que são as interseções do plano da órbita da Terra com o plano da órbita lunar.

O que é zênite?


IMAGINE que você é um observador no Sol, acompanhando a Terra (com a Lua girando a sua volta) em nossa viagem orbital. Assim fica fácil perceber que a Lua nem sempre passa exatamente à frente da Terra, de forma a eclipsar o Sol. Por isso os eclipses não acontecem todos os meses.

A dança das fases
Há quem pense que a parte escura da Lua (aquela vista quando o satélite está minguando ou crescendo) é resultado da sombra do nosso próprio planeta sobre a Lua. Mas quando um astro projeta sombra sobre outro temos os eclipses.

A cada dia vemos o Sol iluminando a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca em torno da Terra ─ e é isso que são as fases. Na verdade, a cada instante temos um ângulo (e uma iluminação) diferente. Por isso, na prática, a Lua tem um número indeterminado de fases.  Fim


INFINITAS FASES  Vídeo do NASA's Scientific Visualization Studio comprime uma lunação (de uma Lua Nova à Lua Nova seguinte) em poucos segundos. Repare como na região do terminador os detalhes do relevo ficam mais evidentes: é para onde devem ser apontados os telescópios amadores.

 

Quarto Crescente
Lua Cheia
Quarto Minguante

» Como usar o texto desta página como uma fonte de sua pesquisa? show