Lua Cheia

Quarto Crescente

A Lua brilha porque reflete a luz do Sol. Na Lua Cheia sua luminosidade é máxima: 7% da luz solar.

A Lua Cheia de setembro acontece no dia 16 às 16h05. Na Lua Cheia, 100% da face lunar voltada para a Terra fica iluminada.

A Lua Cheia acontece apenas num certo dia e hora que correspondem a uma configuração geométrica muito bem definida na posição da Terra, do Sol e da Lua.

É por isso que associamos um horário para cada uma das 4 principais fases lunares (Nova, Crecente, Cheia e Minguante). Elas não duram uma semana inteira, como sugerem alguns calendários.

Na noite de Lua Cheia o mundo inteiro vê a mesma fase. Porém, não da mesma maneira. Um observador no hemisfério Sul vê a imagem da Lua invertida (espelhada) em relação a outro observador no hemisfério Norte.


Observando a Lua
MESMA LUA, DIFERENTES OLHARES  A fase lunar é única para todos na Terra, mas não a vemos da mesma maneira. Gravura original de Alvy Ray Smith, 2001.

Uma fase lunar é resultado das posições relativas da Lua, Terra e Sol e não depende de onde, na superfície da Terra, você está olhando. Mas como a Lua está orientada no céu depende da latitude (e do hemisfério) do observador.

Como o nosso planeta tem a forma de uma bola, os observadores do hemisfério Sul vão ver os corpos celestes e as constelações de cabeça para baixo, se comparado à forma como eles são vistos no hemisfério Norte.

Quando ver a Lua Cheia
Durante uma lunação, nosso satélite natural pode ser observado em diferentes momentos, inclusive pela manhã ou à tarde, dividindo o céu com o astro-rei. O gráfico a seguir mostra os horários aproximados (de 0 à 24h) quando a Lua pode ser vista em cada uma de suas quatro fases principais.

Visibilidade da Lua

Repare que a Lua Cheia nasce por volta das 6 horas da tarde e se põe aproximadamente às 6 da manhã. Assim, a Lua Cheia é visível durante toda a noite, nascendo quando o Sol se põe e se pondo ao nascer do Sol. Quando isso acontece com um corpo celeste, dizemos que o astro está em oposição ao Sol.

Observar a Lua por meio de um binóculo ou uma luneta é sempre recompensador. Mas não tanto na Lua Cheia. Ao incidir verticalmente sobre a superfície, a luz solar não produz sombras significativas e por isso não destaca os contornos do relevo.

Por isso ─ e ao contrário do que poderíamos pensar ─ a Lua Cheia não é a ocasião ideal para observações com instrumentos. Não há um terminador (como nas noites de Lua crescente ou minguante) para apontar seu telescópio.

A Lua Cheia vista através de um telescópio pode ser tão brilhante que ofusca e pode até mesmo cegar momentaneamente o observador, especialmente se o telescópio for relativamente grande. Por isso, nessa fase recomenda-se fortemente o uso de filtros na ocular, de modo a cortar o excesso de luz e melhorar a visualização de detalhes.

Missões lunares
PASSATEMPO INTELIGENTE  Durante a Lua Cheia você pode indentificar, com auxílio de um telescópio, as regiões onde pousaram missões históricas de investigação lunar. Clique na imagem para ampliar o mapa.

Noite de eclipse?
Somente na Lua Cheia pode acontecer um eclipse lunar, pois este é um fenômeno que requer que a Terra esteja exatamente entre a Lua e o Sol ─ ou seja, a Lua tem de estar em oposição. Mas, como você já sabe, nem toda Lua Cheia tem eclipse.

O que é zênite?


IMAGINE que você é um observador no Sol, acompanhando a Terra (com a Lua girando a sua volta) em nossa viagem orbital. Assim fica fácil perceber que a Lua nem sempre passa exatamente por trás da Terra, de forma a ser eclipsada. Por isso os eclipses não acontecem todos os meses.

Se a Lua girasse em volta da Terra no mesmo plano que a Terra gira em volta do Sol teríamos eclipses lunares em todas as noites de Lua Cheia. Mas para o eclipse acontecer é preciso que a Lua Cheia coincida com a passagem pelos nodos, que são as interseções do plano da órbita da Terra com o plano da órbita lunar.  Fim

 

Quarto Minguante
Lua Nova
Quarto Crescente

» Como usar o texto desta página como uma fonte de sua pesquisa? show