Fases da Lua

Fases da LuaDiário de bordo: fases da Lua

O aspecto da Lua se modifica diariamente. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua, Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca em torno da Terra. Um ciclo completo leva 29 dias e meio e se chama mês lunar, lunação, revolução sinódica ou ainda período sinódico da Lua.

Em cada dia da lunação enxergamos a Lua um pouco diferente e assim podemos imaginar cerca de 30 diferentes fases da Lua – mas isso ainda não é o bastante (veja o quadro “Ponto chave”).

Uma fase da Lua representa um ângulo cujo vértice está na Terra, entre Lua e Sol. Mas como a Lua se move, esse ângulo muda constantemente. Assim, rigorosamente falando, a cada instante temos uma fase da Lua diferente. A Lua, na verdade, tem infinitas fases!

Porém, em nossa cultura, geralmente apenas quatro fases lunares recebem denominações especiais: Lua Nova, Quarto Crescente, Lua Cheia e Quarto Minguante.

Entre duas fases iguais (duas luas novas, por exemplo) passam-se 29,5 dias. Portanto, em 1 ano temos 12,4 ciclos lunares completos. Isto significa que uma mesma fase pode acontecer no mínimo 12 e no máximo 13 vezes num único ano.

Em que fase estamos?
AS FASES NOVA, CRESCENTE, CHEIA E MINGUANTE não duram uma semana, como sugerem alguns calendários. Na verdade elas acontecem apenas num certo dia do mês e em instantes críticos que correspondem a situações geométricas muito bem definidas na posição relativa entre Sol, Terra e Lua.

No caso dos Quartos Crescente e Minguante, um observador vê a metade do disco lunar iluminado. Ou, em outras palavras, a metade do hemisfério lunar voltado para a Terra – o que por sua vez corresponde a 1/4 da superfície lunar iluminada, daí o termo.

Quando é Lua Cheia vemos o disco lunar 100% iluminado. Quando é Lua Nova não a vemos, pois não há luz solar refletida (0% de iluminação). Nos demais dias do mês a Lua não é cheia e nem nova. Ela pode estar crescendo ou minguando, mas enquanto não chegar o momento, ainda não será Quarto Crescente e nem Quarto Minguante.

Por que a Lua tem fases?


Mas por que acontecem as fases?
É TUDO UMA QUESTÃO DE PERSPECTIVA. Se você está de frente para alguém que é iluminado por uma única fonte de luz lateral, não poderá ver o rosto inteiro dessa pessoa (Figura acima). Algo semelhante acontece com a Lua vista da Terra.

Se o seu navegador suporta conteúdos em Flash™ a figura acima será interativa. Você poderá mover a Lua com auxílio do mouse e constatar como o seu aspecto muda para quem a vê da Terra. Note que nenhuma “sombra” interfere na formação das fases lunares. Isso ficará mais evidente no deccorer desse texto.

 

Caracterizando as 4 principais fases
UMA FASE LUNAR OCORRE PARA O MUNDO TODO, não importa a localização do observador (se é Lua Nova no Brasil, também é Lua Nova no Japão). Porém, elas não são vistas da mesma forma. No hemisfério Norte o aspecto da Lua é invertido em relação ao visto por um observador no hemisfério Sul.

 Nova
É quando o hemisfério lunar voltado para a Terra não reflete nenhuma luz do Sol. Dizemos também que a Lua está em conjunção com o Sol. A Lua Nova só é visível durante os eclipses do Sol que, aliás, só acontecem quando é Lua Nova. Nessa fase, o ângulo entre Sol, Terra e Lua é praticamente zero. A Lua Nova nasce por volta das seis horas da manhã e se põe às seis da tarde. Ou seja, ela transita pelo céu durante o dia.

 Crescente
Cerca de sete dias e meio depois da Lua Nova, a Lua deslocou-se 90° em relação ao Sol e está na quadratura ou primeiro quarto. É o Quarto Crescente. A Lua nasce aproximadamente ao meio-dia e se põe à meia-noite. Seu aspecto é o de um semicírculo voltado para o Oeste. Vista do hemisfério Sul, a aparência do Quarto Crescente lembra a letra “C”, de crescente. Mas no hemisfério Norte, ao contrário, a Lua crescente se parece um “D”.

 Cheia
Passados 15 dias da Lua Nova, dizemos que a Lua está em oposição ao Sol. É Lua Cheia. Os raios solares incidem verticalmente sobre o nosso único satélite natural, iluminando 100% do hemisfério voltado para a Terra. O ângulo Sol-Terra-Lua agora é de 180 graus. Lua e Sol estão em lados diametralmente opostos do céu.

Curiosamente, essa é a pior ocasião para observar a Lua ao telescópio, pois a luz do Sol que incide sobre o satélite quase não produz sombra, o que dificulta o reconhecimento de crateras e outros acidentes do terreno. A Lua Cheia é visível durante toda a noite, nascendo por volta das dezoito horas e se pondo às seis da manhã. Somente numa noite de Lua Cheia pode acontecer um eclipse lunar.

 Minguante
Uma nova quadratura surge quando a diferença angular é de 270°. Neste dia, o aspecto da Lua é de um semicírculo voltado para o Leste. A Lua nasce à meia-noite e se põe ao meio-dia, aproximadamente.

Flecha disparada para o Sol

O Quarto Minguante também pode ser entendido como um “quarto decrescente” e, de fato, visto do hemisfério Sul, a Lua lembra uma letra “D”, de decrescente. Em qualquer fase intermediária podemos imaginar o lado iluminado da Lua como sendo um grande arco (gravura à esquerda). A flecha dele disparada irá sempre atingir o Sol, indicando sua direção, mesmo que o astro-rei não esteja mais acima do horizonte.

Representando corretamente
AINDA QUE O ARTIFÍCIO DA FLECHA SEJA ÚTIL para encontrar o Sol, é importante lembrar que nos Quartos Crescente e Minguante a Lua jamais assume a forma de um arco ou foice. Essas fases devem ser mostradas como semicírculos.

Representação gráfica correta das fases lunares
 

Observando a Lua durante o dia
QUEM DISSE QUE A LUA NÃO É VISTA DURANTE O DIA? Durante uma lunação, nosso satélite natural pode ser observado em diferentes momentos, inclusive pela manhã ou à tarde, dividindo o céu com o astro-rei. O gráfico mostra os horários aproximados (de 0 a 24h) quando a Lua pode ser vista em cada uma de suas quatro fases principais. Embora na fase Nova a Lua não seja visível, podemos observà-la dentro do horário mencionado no gráfico abaixo até dois dias antes ou depois da data da Lua Nova.

Horários aproximdados da visibilidade da Lua em suas 4 principais fases

Calendários lunares
COM O RECURSO ABAIXO é possível obter calendários lunares para anos passados ou futuros. Basta preencher o ano desejado e clicar no botão. Esses calendários estão pré-configurados para o fuso horário de Brasília (UTC-3 horas), sendo gerados pelo Anuário Interativo do Observatório Nacional.

Ano:  

Perigeu e apogeu
A ÓRBITA DA LUA NÃO É CIRCULAR. O astrônomo alemão Johannes Kepler mostrou que os corpos celestes se movem em elipses em volta de outros objetos mais maciços que eles próprios, como estrelas e planetas.

À primeira vista, as elipses se apresentam de formas muito diferentes, podendo ser bastante alongadas (como as órbitas dos cometas) ou quase indistinguíveis de uma circunferência (como a órbita da Terra). Porém, toda órbita elíptica tem um ponto de maior e de menor aproximação com o astro central. Chamamos a menor distância de perigeu (do grego peri, próximo, e gee, derivado de Terra) e a maior de apogeu.

Esses termos também recebem a denominação apsis (plural apsides). As apsides lunares não têm relação com as fases. Porém, ocasionalmente uma Lua Cheia coincide com o perigeu e com isso pode se apresentar até 30% mais brilhante e 13% maior que uma Lua Cheia no apogeu. A Lua Cheia no perigeu muitas vezes é chamada de Super Lua Cheia.

A órbita elíptica da Lua permite uma certa variação na distância de perigeu e apogeu. Atualmente, o menor perigeu lunar fica a 356.375 km da Terra, e o apogeu mais distante a 406.720 km. A distância média da Terra à Lua é de 384.401 km.

Terra e Lua em escala
SE A TERRA FOSSE UMA BOLA DE BASQUETE, a Lua seria uma bola de tênis e ambos teriam de ser posicionados a 7m e 37cm um do outro para representar a distância real no espaço. No diagrama abaixo, em escala, a maior parte das órbitas dos satélites artificiais, incluindo a Estação Espacial Internacional, fica a apenas 1 pixel de distância da Terra.

Terra e Lua em escala. Inclinações, apogeu e perigeu

É curioso pensar que entre todos os seres humanos apenas 538 estiveram a esse pixel de distância. São os astronautas. Dentre eles, apenas 24 foram tão longe quanto a distância da Lua: foram os tripulantes de 8 missões Apollo. Nenhum ser humano esteve mais longe. Até hoje.

O luar e a luz cinérea
ALBEDO É UM VALOR APROXIMADAMENTE FIXO que indica o quanto a superfície de um corpo celeste sem luz própria é capaz de refletir a luz que nele incide.

Luar

ONDE ESTÃO AS ESTRELAS? Na foto, ainda não é noite de Lua Cheia, e mesmo assim o luar já prejudica a visão do céu noturno sobre observatórios no Havaí.

O albedo da Lua Cheia, o luar, vale cerca de 0,07. É o mesmo que dizer que o satélite reflete 7% da luz do Sol.

Em comparação, vista da Lua, a “Terra cheia” reflete 39% (albedo 0,39). É que a superfície do nosso planeta quando vista da Lua é cerca de 13 vezes maior que a Lua Cheia vista da Terra.

Além disso, os mares, desertos e principalmente as nuvens acabam resultando num albedo muito maior do que o lunar.

Mesmo assim a luz do luar é intensa o bastante para prejudicar à visão de outros corpos celestes e por isso recomenda-se observar objetos pouco luminosos (como nebulosas, aglomerados ou chuvas de meteoros) nos horários em que a Lua não está acima do horizonte.

Perto da Lua Nova (antes e depois) surge na Lua uma claridade tênue, bem mais fraca que o luar, mas que permite vermos o lado do satélite que deveria estar no escuro. É a chamada luz cinérea, ou luz cinzenta. Sua origem intrigou a humanidade por séculos, até que Leonardo da Vinci propôs uma explicação. Para saber mais sobre esse fenômeno, sugerimos a leitura do texto O brilho de da Vinci.

Lua, com inicial maiúscula é substantivo próprio, o nome do nosso único satélite natural. Com inicial minúscula é substantivo comum, sinônimo de satélite natural. A nossa lua chama-se Lua, enquanto as luas de outros mundos recebem outros nomes.

Blue Moon e idade da Lua
NOS PAÍSES DE LÍNGUA INGLESA costuma-se chamar a segunda Lua Cheia que ocorre num mês de Blue Moon (veja Lua Azul). O termo vem de uma antiga história popular e a Lua não fica azul de fato.

Mais comum é a convenção sobre a “idade da Lua”. Ao contrário do que ela sugere, não se trata do tempo desde que a Lua se formou, mas da quantidade de dias desde a última Lua Nova (sempre variando de zero a 29).

A seguir fornecemos uma calculadora através da qual você pode obter a idade da lua em certa data, além de outras informações interessantes.  Fim

 

Magnífica Lua
A Lua em números  
Hora Universal

» Publicação em mídia impressa:
• Costa, J. R. V. A Lua e o dragão. Tribuna de Santos, Santos, 11 abr 2005. Caderno de Ciência e Meio Ambiente, p. D-4.

» Como citar o texto desta página como uma fonte de sua pesquisa? show

Comentários encerrados.