Carreira de astrônomo

Se você pretende fazer da Astronomia a sua vida profissional, esta página poderá ser muito útil. Aqui estão informações importantes para você seguir esta carreira, que começa necessariamente com um curso universitário.

CitaçãoPorém, antes mesmo de começar um curso superior, é recomendável ter afinidade com Matemática e Física, disciplinas que lhe acompanharão durante toda a carreira.

Um astrônomo é um cientista, mas isso não faz de ninguém um ser especial. Como em tantas outras profissões na atualidade, é importante se manter atualizado e sempre estudando, não importa que os cursos regulares você tenha terminado.

O que faz um astrônomo?
O OBJETO DE ESTUDO da Astronomia é todo o Universo. Astrônomos analisam os corpos celestes, estudando formas, movimentos, composição química, origem e evolução, por exemplo.

Hoje, com o avanço tecnológico dos instrumentos ópticos, não é mais necessário passar noites em claro observando o céu com telescópios. Os astrônomos normalmente analisam o grande volume de dados obtidos remotamente por esses instrumentos – e daí fazem o seu trabalho.

ASTRONOMIA MODERNA

ASTRONOMIA MODERNA Hoje os astrônomos não precisam passar noites em claro nos observatórios, mas o que se perdeu em romantismo ganhou-se em precisão e volume de dados. Foto: Gemini Observatory.

Por onde começar?
A PARTIR DE 2009, o Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG-USP) passou a oferecer um curso de Bacharelado em Astronomia. A mesma decisão foi tomada pelo Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Antes, o único curso de graduação em Astronomia do Brasil era o do Observatório do Valongo, do Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Mas para seguir carreira em Astronomia, não é imprescindível fazer um desses cursos. Egressos do Bacharelado em Física, Matemática ou mesmo das Engenharias também podem ser astrônomos, desde que cursem pós-graduação na área.

No Brasil existem ainda alguns cursos de Física que oferecem disciplinas em Astronomia. Assim, o aluno se familiariza com o tema durante a graduação, o que lhe dá a vantagem de decidir com mais calma pela carreira. Normalmente a duração de um Bacharelado é de 8 semestres.

 Advertisement
 

Onde trabalhar?
UM BACHAREL EM ASTRONOMIA PODE montar exibições, dar palestras e coordenar visitas ao público em centros de ciência, planetários e museus. Também pode atuar no controle de satélites. Neste caso, cursos de pós-graduação Lato Sensu (especialização) podem ser úteis ao profissional.

Os SEGMENTOS que mais EMPREGAM são o ensino e a PESQUISA

Os segmentos que mais empregam são o ensino e a pesquisa. Para trabalhar nas instituições de ensino superior como pesquisador (cientista), é obrigatório ter cursos de pós-graduação Stricto Sensu (títulos de Mestre e Doutor). Com o surgimento dos centros de difusão científica e a instalação de novos planetários também vai se abrindo espaço na área de divulgação.

Em 2001, existiam no Brasil cerca de 250 doutores e 150 estudantes de pós-graduação em Astronomia. A maioria atuando em universidades e centros de pesquisa – inclusive no exterior. Os maiores grupos de pesquisa nesta área estão hoje concentrados na USP e em universidades federais tais como UFRGS, UFRJ e UFRN, assim como no Observatório Nacional e no Inpe.

A maior parte dos astrônomos do mundo está na Europa e Estados Unidos. Este último tem cerca de 6.000 profissionais e forma mais de 100 doutores por ano na área. Boa parte das publicações científicas está em inglês, daí porque o conhecimento desse idioma é altamente desejável.

Qual a remuneração?
NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS, O RENDIMENTO é compatível com a titulação e função (Professor Adjunto, Substituto, Titular etc). Como são funcionários públicos, os valores dos salários são estabelecidos pelo Governo.

A demanda por astrônomos é maior no Rio de Janeiro e São Paulo, mas dependendo da área de concentração do profissional (astrofísica e cosmologia, por exemplo) é possível trabalhar em qualquer instituição de ensino superior do país que tenha um grupo de pesquisa em sua área.

E os amadores?
A ASTRONOMIA É UMA DAS POUCAS ÁREAS onde o amador é bem-vindo e não interfere no trabalho do profissional. Muito pelo contrário: os amadores complementam essa atividade, atuando na divulgação e na observação “à moda antiga” (olhando o céu com telescópios de pequeno e médio porte).

Alguns amadores são excelentes construtores de telescópios, observam sistematicamente estrelas variáveis, manchas solares, cometas, planetas e a Lua. Por isso, muitas descobertas são feitas por eles. Durante o programa Apollo, astrônomos amadores de várias partes do mundo foram recrutados para auxiliar na missão.

Profissionalmente eles vêm das mais diversas áreas (são médicos, advogados, arquitetos etc) e tratam a Astronomia como um hobby, uma paixão. Se você não se sente confortável com tanta Matemática e Física, ou simplesmente tem mais aptidão para outras áreas, nunca se esqueça que a Astronomia amadora será sempre uma porta aberta.  Fim



 

Os tipos de astrônomos
Profissão: astrônomo

» Referências (fontes consultadas):
• Como se tornar um astrônomo no Brasil. Depto. Astronomia do Instituto de Física da UFRGS. Disponível em <http://www.if.ufrgs.br/ast/hist/index.htm>. Acesso em 1 ago 2008.
• Silva, R. P.; Schulz W. Informações sobre o curso de Astronomia. Céu Urbano. Disponível em <http://www.geocities.com/naelton/astro.htm>. Acesso em 28 jul 2008.
• STEINER, João E. Astronomia no Brasil. Cienc. Cult., São Paulo, v.61, n.4, 2009. Disponível em <http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252009000400015>. Acesso em 2 fev 2014.

» Como usar o texto desta página na sua pesquisa? show