A Terra sem a Lua – 2

Antártica tropical
DIAS MAIS CURTOS CERTAMENTE RESULTARIAM EM ENORMES MUDANÇAS no processo de evolução da vida na Terra. Outros ciclos de luz e escuridão provocariam novos hábitos na fauna e flora.

Além disso, com um período de rotação mais rápido, a atmosfera terrestre se moveria mais velozmente. Furacões poderiam durar meses e os ventos seriam muito mais rigorosos.

Graças à Lua o eixo de rotação da Terra permanece estável em cerca de 23 graus e meio de inclinação. Isso é responsável pela existência das estações do ano. Presume-se que sem a Lua, a inclinação do eixo terrestre poderia atingir os 85º.

Todo o clima da Terra seria dramaticamente alterado. Na Antártica, onde hoje faz muito frio, seria quente como nos trópicos, e as regiões equatoriais do planeta estariam cobertas de gelo. A Lua é um regulador climático.

Inclinações oritais
A LUA  gira numa órbita inclinada 5° em relação ao plano da órbita terrestre. Ela própria está inclinada 1,5° com respeito a sua órbita, enquanto a Terra gira com 23,5° de inclinação.

Bagunça útil: a Lua gira numa órbita inclinada 5° em relação ao plano da órbita terrestre. Ela própria está inclinada 1,5° com respeito a sua órbita, enquanto a Terra gira com 23,5° de inclinação.

Lua, protetora da vida
A LUA TAMBÉM TEM SIDO UM EFICIENTE ESCUDO contra impactos de meteoritos. Se a Lua não existisse, a própria Terra seria a única fonte de atração gravitacional para os objetos que causaram aquelas cicatrizes lunares.

As crateras da Lua, principalmente as do lado oculto, dão uma boa ideia do que já podemos ter escapado. Quando um grande meteorito choca-se com a Terra parte de nossa atmosfera é perdida no espaço e centenas de quilômetros cúbicos de poeira são arremessadas no ar.

Evidências de impactos no passado mostram que esse material fica em suspensão por anos, impedindo a luz solar de chegar à superfície – é o inverno global.

Assumindo que a Lua nunca existiu, então aquele violento impacto com a Terra primitiva também nunca aconteceu. Dependendo do ângulo com que o meteorito gigante atingiu a Terra, a rotação do nosso planeta certamente seria diferente.

Provavelmente teríamos uma órbita menos elíptica que a atual. Fazendo as contas da massa acrescentada à Terra com o impacto, menos a massa da Terra cedida à Lua, é possível que nosso planeta fosse até 10% menor. Nossa atmosfera poderia ser tão densa quanto à do planeta Vênus…

Ainda poderíamos falar nos efeitos psicológicos (?) atribuídos a Lua, como o crescimento da lavoura ou de nossos cabelos, o ciclo menstrual da mulher e as histórias populares, como a do lobisomem.

Terra vista da Lua

Terra vista da Lua. Fotomontagem a partir de imagens das missões Apollo.

Carpe Diem (Aproveite o Dia)
SEM A LUA, TODA A VIDA NA TERRA poderia ser não apenas diferente, mas simplesmente nunca ter surgido.

Mesmo sem poder comprovar esses resultados, um dia a Terra ficará sem a Lua. Com o passar de eras, as forças de maré vão reduzir ainda mais a rotação da Terra, tornando os dias mais longos – e como para cada ação existe uma reação, a Lua se afasta de nós 3,8 cm a cada ano.

Não antes de terem se passado quinhentos milhões de anos, a Lua não será mais capaz de produzir eclipses do Sol. Em um ou dois bilhões de anos ela estaria tão longe que poderia se desprender da atração terrestre. Talvez se torne um planeta em separado, talvez colida com o Sol.

Alguns pesquisadores já calcularam que a ausência da Lua daria ao nosso planeta uma precessão caótica, isto é, o eixo de rotação da Terra poderia passar a oscilar loucamente.

A maioria discorda. Para eles a Lua não vai se afastar para sempre. O processo para quando a rotação da Terra, da Lua e o período orbital da Lua atingiram todos um valor em torno de 55 dias.

Nesse ponto a Lua estará 60% vezes mais distante da Terra que hoje. Mas isso só aconteceria em uns 15 bilhões de anos – e o Sol morre antes, em cerca de 5 bilhões de anos no futuro.

Resta-nos a certeza de que vivemos no momento adequado para a Terra abrigar vida em abundância e ser iluminada pelo luar. Por isso, cuide bem do seu planeta e aproveite o dia… e as noites também!  Fim

 

Sistema Terra-Lua
As fases da Lua

» Referências (fontes consultadas):
• Comins, N. The Earth without the Moon. Astronomy Magazine February (1991).

» Publicação em mídia impressa:
• Costa, J. R. V. A Terra sem a Lua. Tribuna de Santos, Santos, 2 dez. 2002. Caderno de Ciência e Meio Ambiente, p. D-4.

» Como usar o texto desta página na sua pesquisa? show