À luz de uma lua vermelha

Na complicada rede de laboratórios e centros de pesquisa espalhados pela União Soviética havia outros investigadores e engenheiros com visão focada na conquista espacial.

Vladimir Chelomei

Vladimir Chelomei (1914-1984).

Um desses rivais de Korolev era Vladimir Chelomei, que tinha desenvolvido mísseis para os militares, mas que não possuía muita experiência em lançadores espaciais.

Mesmo assim, Chelomei adquirira um valioso trunfo ao contratar Serguei N. Khrushchov, filho de Nikita Khrushchov.

Serguei ofereceu a Chelomei uma vantagem num sistema onde as ligações pessoais ao poder eram o mais importante. Assim, o laboratório de Chelomei, recebia o maior orçamento entre todos os laboratórios da União Soviética, o que levou que as ambições de Chelomei entrassem no campo do trabalho de Korolev.

O Nositol
AS DECISÕES SOBRE QUAL VEÍCULO IRIA VOAR eram tomadas muito tarde pelos líderes soviéticos, baseados nos pareceres da Academia de Ciências Soviética.

Como resultado, o programa espacial possuía vários projetos rivais e paralelos, o que representava um sério entrave ao estabelecimento de um plano coordenado.

Um decreto do governo soviético determinou o desenvolvimento de uma série de veículos capazes de lançar desde pesados satélites civis e militares, até veículos automáticos ou tripulados para a Lua, Vênus e Marte.

Korolev trabalhava no seu próprio lançador pesado, a série N (ou Nositol, palavra russa para transportador). E seguindo a lógica de expansão dos armamentos nucleares para a órbita terrestre, Nikita Khrushchov exigiu uma versão capaz de colocar em órbita uma estação espacial militar denominada Zvezda, ou OS-1.

Nositol 1
O GIGANTESCO transportador soviético Nositol na rampa de lançamento. Trinta motores e 106m de altura.

União
COM O LANÇADOR N1 E A ESTAÇÃO ESPACIAL OS-1, Korolev estava desenvolvendo um veículo tripulado denominado Soyuz (União, em russo). O desenvolvimento da Soyuz era fundamental, pois as cápsulas Vostok não podiam alterar as suas órbitas bem como efetuar manobras de encontro e acoplagem com outros veículos.

Desenvolvida para o programa lunar, a Soyuz viria a constituir o principal veículo tripulado do futuro programa espacial soviético, sendo ainda hoje utilizada na versão TM.

No período de desenvolvimento da Soyuz (de 1959 a 1962), pensava-se que o programa lunar passaria pela construção de estações espaciais, missões lunares tripuladas e missões tripuladas a Marte.

Mas seja qual o rumo a seguir, era de comum acordo que as manobras de encontro e acoplagem entre dois veículos seriam de vital importância. Este requerimento foi um fator importante na construção e desenho da Soyuz.

Novo inquilino no Kremlin
FINALMENTE, EM 3 DE AGOSTO DE 1964, o Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética aprova a resolução que estabelece o objetivo de colocar um cosmonauta na Lua entre 1967 e 1968 – antes das missões Apollo. Mas já haviam se passado mais de três anos desde o discurso de Kennedy que lançou os Estados Unidos na corrida para a Lua.

Da mesma forma Chelomei recebe a aprovação final para construir o seu LK-1, que deveria transportar dois cosmonautas num voo circunlunar que deveria acontecer em outubro de 1967, para comemorar o 50º aniversário da revolução Bolchevique.

Com o início do Programa Gêmini nos Estados Unidos, Korolev recebe ordens para criar um novo programa tripulado, satisfazendo assim o apetite de espetáculo de Khrushchov. Inicialmente proposta em fevereiro de 1964, a Voskhod era basicamente uma cápsula Vostok com capacidade para transportar 2 ou 3 cosmonautas em missões de longa duração ou com a capacidade de proporcionar uma saída de um feliz cosmonauta ao exterior.

No entanto, para acomodar mais que um cosmonauta, foi necessário remover o único assento ejetável deixando assim a tripulação sem qualquer meio de fuga em caso de acidente durante os primeiros minutos do lançamento (o veículo lançador também não possuía nenhuma torre de emergência para afastar a cápsula em caso de desastre).

A primeira missão tripulada é lançada em 12 de Outubro de 1964 e constitui até hoje uma das missões mais arriscadas jamais realizadas. Ao regressar à Terra os três cosmonautas da Voskhod 1 têm conhecimento que existia um novo inquilino no Kremlin.

Pois Khrushchov era removido do poder e Leonid Brezhnev assumira a liderança do partido e do destino da União Soviética. Breznev nunca se mostrou tão interessado em feitos espaciais como Khrushchov e isso se refletiu fortemente no programa espacial soviético.

Continue lendo…

 

Os pioneiros
Missões espaciais

» Como usar o texto desta página na sua pesquisa? show